2 de mar de 2010

Fatos bizarros e curiosos na história da sexualidade

•Em 1600 cristãos que viviam na Turquia tinham que pagar uma taxa. Os cobradores destas taxas freqüentemente exigiam das pessoas que mostrassem sua circuncisão para determinar quem tinha ou não que pagar.

•John Harvey Kellogg inventou o “corn flakes” sucrilhos em 1898 como parte de sua dieta para diminuir o desejo sexual e a masturbação.

•O primeiro “Dildo” pênis artificial foi vendido em 1911.

•O termo homossexualidade não é derivado do latim “Homo” homem, mas sim do Grego “Homos”, que significa “ o mesmo”.

•Durante a década de 1920 muitos homossexuais foram tratados com choque elétrico para curar o que era considerado como “doença”. Foi somente em 1973 que a homossexualidade foi oficialmente removida da lista da Sociedade Americana de Psiquiatria como um distúrbio mental.

•Alfred Wolfram bateu o recorde mundial de beijo em 1990, beijando 8001 mulheres em 08 horas, um beijo a cada 06 segundos.

•Em algumas tribos Australianas os homens cumprimentam uns aos outros pegando um no pênis do outro, como se estivessem dando as mãos.

•Mais de 8000 vídeos pornôs são produzidos anualmente, quase 22 por dia.

•Em 1999 mais de 4 bilhões de dólares foram gastos com sexo por telefone, mas mais da metade não pagou suas contas.

•De acordo com uma pesquisa realizada com proprietários de SexShops, o mais popular sabor de roupas íntimas comestíveis é “cereja”. Chocolate é o menos popular.

•Na cultura Asteca o abacate era considerado tão potente sexualmente, que as virgens eram restringidas em ter contato com o mesmo.

•Os morcegos machos tem a maior taxa de homossexualismo do que qualquer outro mamífero.

•Humanos e golfinhos são as únicas espécies que tem sexo por prazer.

•Para cada uma página “normal” na Internet, há cinco pornôs.

•A mais antiga ilustração de um homem usando um preservativo durante o ato sexual está pintada em uma parede de uma caverna na França. Sua data está entre 12.000 e 15.000 anos atrás.


Achei aqui: Cogumelo Louco

Nenhum comentário:

Postar um comentário